• !maginar

    !maginar é um projecto para a concepção artística de espectáculos de participação comunitária que visa promover contextos de exploração artística e de interacção entre agentes da cultura local, promovendo um espectáculo rico e interdisciplinar, original e criativo com base nos temas identificativos da localidade/região em que é desenvolvido.

  • Do pé prá mão

    As danças tradicionais do mundo ganham uma nova dinâmica com a sonoridade do grupo folk “do pé prà mão”.

  • A noiva de João

    A noiva de João – O Musical

    Em 12 de Maio de 2006 A Orquestra Típica de Águeda e a Com.Cenas levaram à cena, no Cineteatro São Pedro em Águeda, a reposição da opereta de Adolfo Portela “A noiva de João” com Encenação de Guilherme Guerra e Direcção Musical de Rogério Fernandes.

  • Na Rota dos Ventos

    “Na Rota dos Ventos” é uma proposta de espectáculo influenciado pelo conceito criado na edição do CD com o mesmo nome, editado pela Orquestra Típica de Águeda em 2005.

As cinco instituições culturais da cidade que mais ligação têm à Casa do Adro, ali se unem em palco no próximo sábado 8 Julho, para um espectáculo inédito em torno do folclore local, partilhado por várias estéticas musicais.

Rio Povo é uma criação inter-associativa efémera, com dois espectáculos a ter lugar em pleno Rio Águeda, marcando de forma indelével a síntese entre a tradição local (fortemente ligada ao rio, na sua função cultural transmissora entre a serra e o litoral) e o discurso artístico contemporâneo que se lhe quer associar pela acção e reacção dos novos agentes culturais de Águeda.

O imponente espectáculo inter-associativo que Águeda constrói, a cada ano, sobre as águas do seu rio, tem nova edição em 2010. Um musical exuberante, contemporâneo e visual, inspirado no repertório musical de todos os tempos dedicado ao imaginário ribeirinho: “Povo Que Lavas no Rio Águeda”. A 16 e 17 de Julho de 2010, na antiga piscina fluvial, terá lugar mais um evento para a história cultural de Águeda.

Auto de Natal, recolhido a partir de excertos dos autos tradicionais em voga no interior beirão no século XIX e primeiras décadas do século XX, representado nos entremezes e por iniciativa dos priores das paróquias serranas, transmitido por memória popular.